O ideal é que a hipertensão arterial pulmonar (HAP) seja diagnosticada o mais cedo possível para que os pacientes possam iniciar o tratamento.

Os sintomas iniciais da HAP – falta de ar, tontura e fadiga – são muitas vezes leves e comuns a muitas outras doenças. O diagnóstico pode ser retardado em meses ou mesmo anos enquanto outras possíveis causas são investigadas e, por isso, freqüentemente a HAP é identificada quando já está bastante avançada.

É difícil diagnosticar a HAP simplesmente com base nos sintomas, e não há um único teste para a doença. O diagnóstico geralmente se baseia no histórico médico e em uma série de investigações elaboradas para medir as funções cardíaca e pulmonar e para descartar outras doenças. Estas podem incluir:

  • um ultra-som do coração chamado de ecocardiograma por Doppler
  • um exame para medir a atividade elétrica do coração - um eletrocardiograma (ECG)
  • um teste de caminhada de seis minutos que avalia que distância a pessoa pode percorrer em seis minutos, ou outros tipos de testes de exercício
  • testes da função pulmonar para verificar se as vias aéreas estão mais estreitas do que o normal
  • exame de TC (um exame computadorizado que obtém imagens do corpo) para investigar quanto a tipos de doença pulmonar
  • um estudo do sono para descartar apnéia do sono (uma doença em que a respiração é brevemente interrompida durante o sono)

Se houver suspeita de HAP, pode-se confirmar o diagnóstico por meio de um procedimento chamado de cateterização cardíaca direita. Este envolve a inserção de um pequeno tubo no coração para oferecer uma medida direta da pressão no coração e nos pulmões. Esse exame geralmente exige uma curta permanência no hospital.